Category Archives: O Veredito

Shingeki no Bahamut: Genesis – O VEREDITO!

Shingeki no Bahamut Genesis/Roteiro

Atenção, este texto é um roteiro feito para um vídeo, não estranhe partes como ” aí na tela ” ou ” no vídeo”. 

 

Apresentação

Olá, aqui é o Pedro e estamos com mais um Papo Who. Dessa vez é sobre Shingeki no Bahamut Genesis, um anime que foi bem aclamado durante seus primeiros episódios. Além de falar desta obra eu gostaria de explicar pra vocês como vai funcionar “O VEREDITO “, que é uma análise centrada em dar uma opinião concreta, sim, estamos copiando o OmeleteTV. Vou mostrar os passos de como será o vídeo:


Primeiro eu vou falar sobre o anime em tópicos, como sempre foi, depois partidos para uma pequena parte com spoiler aonde é opcional pulá-la, por último tem o VEREDITO, uma opinião geral do anime sem spoilers. Chega de explicações e vamos pra análise.


Shingeki no Bahamut Genesis, anime baseado em um card-game de mesmo nome, onde deuses e demônios vivem em guerra. Até que em um belo dia o Bahamut, um dragão hyper-poderoso ameaça destruir tudo que se conhece e na primeira cena do anime vemos duas entidades selando o Bahamut. Não falarei quem são elas, já que um dos mistérios da trama é descobrir isso. Muito tempo depois a narrativa nos coloca entre três personagens:  o caçador de recompensas Favaro, o honroso Kaisar que também é um caçador de recompensas e Amira, uma liiiiinda… demônio.

Acontecimentos aqui e ali, faz com que destino reúna três se em uma espécie de aventura para Helhein.

Ambientação

A Ambientação de Bahamut é sensacional, uma mistura de Idade Moderna com Épico mitológico. Ainda assim ela faz o que é extremamente importante em histórias de aventura, te prende a aquele mundo, mesmo mostrando apenas pedaços dele, o que é entendível por ser um anime de 12 episódios. Não tem como falar da ambientação e não dar os créditos a Trilha Sonora, que mesmo sendo usada em excesso as vezes, é muito, mas muito épica.

Personagens     

 Os personagens em uma aventura são extremamente importantes, afinal, em muitos casos o que nos prende a aquele mundo são eles. Também temos o fator de ponto de vista, o que nos ajuda a entender a exploração daquele ambiente.

Os personagens de Bahamut, apesar de não serem inovadores em suas personalidades, fazem mais que o prometido, aliás, o gosto de assistir a aventura acaba sendo muito mais por eles, do que pela história. Favaro é de longe o personagem que centraliza essa cativação, com sua personalidade forte acaba encantando, mas no geral ele não tem lá muito de diferente, é o típico personagem alegre e malandrão. Kaisar é o amigo de infância de Favaro, ele tem uma intriga clichê com o mesmo, isso serve apenas para deixar aquela desculpa de bons amigos que se odeiam. A relação deles lembra muito Túlio e Miguel em O Caminho para El Dorado. Amira é a deusa grega dos animes, cabelo rosa e corpo bom, ela literalmente cai do céu na história, tendo uma personalidade hostil e infantil (O porquê disso é mostrado mais à frente na história). Vale lembrar que o passado dos três é mostrado aos poucos e consideravelmente de forma conjunta.

 

História e Trama

Joana D’arc também tem sua participação.

 Tanto a história quanto a trama de Shingeki no Bahamut são bem simples, uma guerra entre demônios, anjos e humanos. Aí para esquentar a história tem um dragão super-poderoso que pode fazer o que? É, destruir o mundo. Original não? Mas o bacana é que a direção tenta ao máximo mudar o foco da história para os personagens, o motivo? Simples, como eu disse antes, os personagens geram grande cativação, não tanto por eles em si, muito mais por você querer ver eles naquela aventurinha, mesmo que clichê. E para isso temos que tirar o chapéu para Bahamut, ele consegue fazer um épico mitológico com uma história bem simples, e ainda gerar carinho pelos personagens.

Já a trama segue um plano de roteiro bem claro, a partir do quinto ou sexto episódio, alguns pontos já podem ser previsíveis e pouca coisa pode te surpreender. Esse fator eu consigo perdoar sem problemas, afinal, estamos falando de um anime que está sendo feito para divulgar um jogo. Por este motivo, uma trama mais complexa poderia ser desnecessária para os produtores do anime, já que poderia sair dos 12 episódios. Ainda sim, isso não é uma desculpa, mas é entendível.

Amira <3

 

SPOILERS! >> 

 

FINAL

 Depois de todos esses pontos positivos e negativos do anime, chegamos ao final. De fato, ele deixa muito a desejar. Ao decorrer da obra a história mostra ser bem redonda e realmente, pouco inovadora. Mas, de certo modo o final me trouxe uma sensação de satisfeito.

Bom o que acontece no final? Eles derrotam o Bahamut mas perdem Amira, tem até uma cena bonitinha de despedida entre ela e o Favaro.

 << SAINDO DOS SPOILERS…

O VEREDITO!

AGORA VAMOS PARA O VEREDITO!!  Shingeki no Bahamut Genesis de fato é um anime muito bonito, apesar de sua animação claramente precária ele tem um traço lindo e uma ambientação perfeita. Isso acaba chamando muita atenção no anime, e claro, temos que dá os créditos pela obra por não apelar em nenhum momento para o ecchi, mesmo tendo perfeitas oportunidades para tirar a casquinha.

A Direção é outro ponto fortíssimo na obra, ela consegue ter uma narrativa livre, o que pra história simples de Bahamut surgiu muito efeito, afinal uma narrativa agradável em uma aventura é muito importante.

Mesmo que em partes os personagens sejam clichês, não dá para negar que a cativação deles é grande. De fato, Shingeki no Bahamut consegue ser uma obra de destaque do estúdio Mappa.  Boa parte de seus defeitos são compreensíveis e seus pontos positivos conseguem agradar o suficiente para ver o anime inteiro. Por Tanto, o nosso veredito sobre Bahamut é um OK bem grande!

 

É isso galera! Ficamos por aqui e espero que vocês tenham gostado deste Papo Who. Deixe aquele like maroto e compartilhe, isso ajuda muito na produção do meu conteúdo. Até a próxima, tchau!